Méliuz pretende bater meta do varejo nacional no Dia dos Namorados

Méliuz pretende bater meta do varejo nacional no Dia dos Namorados
O Dia dos Namorados, a ser comemorado na próxima segunda-feira, dia 12 de junho, é uma das datas mais importantes do Varejo Nacional, ficando atrás apenas do Natal e do Dia das Mães. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a comemoração em 2017 deve movimentar R$ 2,3 bilhões, 10% acima do registrado no ano passado.
Os números relacionados ao e-commerce são ainda mais positivos: o Ebit prevê que a migração das vendas para o meio digital deve continuar durante 2017 e gerar um crescimento de 12% no faturamento do comércio eletrônico, com estimativa de R$ 49,7 bilhões. O aumento é de cinco bilhões, se comparado ao faturamento gerado em 2016 – R$ 44,4 bilhões.
A startup mineira Méliuz, especializado no segmento de cashback, tem expectativas igualmente positivas para a data. Contando com mais de 2.000 parceiros em todo o Brasil, entre lojas virtuais e estabelecimentos físicos, o Méliuz pretende bater a meta atual do mercado e movimentar 20% a mais do que o ano de 2016. O otimismo da empresa é justificável: mais de R$ 28 de milhões de já foram devolvidos aos usuários do Méliuz e a empresa não para de crescer. Em cinco meses, o número de funcionários da empresa triplicou. Hoje, eles são 172 funcionários, com perspectiva de alcançar a marca de 200 até o fim do ano.
A estratégia adotada pela empresa para bater tal meta é a diversidade de parcerias fechadas especialmente para a data, com estabelecimentos de várias áreas de atuação: Submarino, Shoptime, eDestinos, Carrefour, C&A, Salinas, Marcyn, O Boticário, Posthaus, Richards, Chico Rei, ChefsClub, AMARO, Motorola, Amazon, Girafa, Bobstore, Ellus, Quem disse Berenice?, Tommy Hilfiger, VR, Richards, Quantum, World Tennis, eÓtica, Shop2gether, The Beauty Box e Drogaria Onofre. Todas as lojas citadas vão oferecer cashback – o dinheiro de volta – dobrado, comparado à porcentagem habitual. As recompensas variam de 4% até 42,5% do valor gasto em compras.
“O dinheiro de volta é uma proposta muito mais atrativa do que os programas de pontos, já que eles muitas vezes expiram e é preciso juntar uma quantidade muito grande para trocar por um produto interessante”, afirma Lucas Marques, Diretor de Operações do Méliuz. Outra vantagem percebida por ele no modelo é que “todos os envolvidos nas transações saem ganhando”: “o dinheiro de volta é interessante por fidelizar os antigos compradores, trazer novos usuários e estimulá-los a comprar, afinal, eles ganharão uma porcentagem do valor da compra e poderão gastar como e onde quiser”, ressalta Marques.
Como funciona
Nos estabelecimentos parceiros, o consumidor só precisa pedir para pagar suas compras usando a máquina de cartão do Méliuz. Após a conclusão do pagamento, basta digitar o número do celular com DDD e, no comprovante, já aparece o valor devolvido na transação.
Já nas compras online, o consumidor se cadastra gratuitamente no Méliuz, procura a loja que deseja dentro da plataforma e faz a compra normalmente. Após a conclusão, o valor a ser recebido pelo cliente aparece em seu extrato no Méliuz como pendente. Quando a loja confirmar o pagamento, o saldo é aprovado. Usar o Méliuz não altera o preço dos produtos!
Ao completar R$ 20 em sua conta do Méliuz, o cliente pode solicitar o resgate, por meio do site ou do aplicativo, e receber o dinheiro direto na sua conta bancária sem pagar nada por isso.
Mais informações ? Fale Conosco